As ferramentas de low-code e no-code estão cada vez mais desempenhando um papel crucial na aceleração da entrega de aplicativos.

Em 2016, a Forrester previu que o mercado de low-code superaria US$ 21 bilhões até 2022, representando um crescimento de aproximadamente 50% em relação ao ano anterior. Embora o mercado ainda não tenha acompanhado as expectativas da Forrester, ele ainda está no ritmo para um forte 2021.

O Gartner previu em fevereiro de 2021 que o mercado de tecnologias de low-code aumentaria em 23% para US$ 14 bilhões até o final do ano.

Tanto o desenvolvimento de aplicativos de low-code quanto no-code seguem o princípio de abstrair-se do código para fornecer os benefícios da modelagem visual. No entanto, há uma diferença fundamental na escala e no tipo de aplicação que pode ser construída através das duas abordagens.

Continue lendo este artigo e veja uma comparação de low-code e no-code. Aproveite a leitura!

O que é Low-Code?

O low-code é uma maneira de desenvolvedores de todos os níveis de habilidade projetarem aplicativos rapidamente. Além disso, com a mínima codificação manual, possibilita criar softwares arrastando e soltando blocos visuais de código existente em um fluxo de trabalho.

Ao invés de escrever linhas de código, aprender a mais recente estrutura de programação ou fazer inúmeros testes, você consegue finalizar e entregar seu projeto ou serviço rapidamente.

Os desenvolvedores trabalham com mais eficiência e agilidade quando optam por usar low-code, pois não são prejudicados pela codificação repetitiva ou trabalho de duplicação.

Por sua vez, eles se concentram em diferenciais que tornarão o aplicativo único e um destaque entre tantas outras opções no mercado.

O que é No-Code?

As soluções no-code também apresentam o desenvolvimento visual de arrastar e soltar. Entretanto, ao contrário do low-code, atendem principalmente profissionais não técnicos que podem não conhecer nenhuma linguagem de programação real, mas precisam de um aplicativo.

Neste caso, eles podem ter a necessidade de desenvolver um software para seu departamento, serviço ou produto. Em outras palavras, o no-code permite que as organizações equipem seus times com as ferramentas necessárias para criar aplicativos sem conhecimento em linguagem de programação.

As soluções são semelhantes às plataformas populares de blogs e empresas de design de sites de e-commerce com páginas prebuilt que você pode configurar e publicar em minutos.

Confira aqui um vídeo que a Round Pegs preparou sobre o conceito de No-Code.

Low-code e no-code: quais as semelhanças?

Tanto plataformas de desenvolvimento de low-code quanto no-code fornecem os meios para criar aplicativos de software sem a necessidade de escrever código.

Ao invés de exigir que um desenvolvedor tenha qualquer conhecimento de linguagens tradicionais de programação, ambos fornecem uma abordagem visual para o desenvolvimento de aplicativos.

Isso torna o desenvolvimento de aplicativos acessível a mais pessoas, como empreendedores, profissionais autônomos ou não técnicos.

As plataformas de desenvolvimento low-code e no-code ajudam a criar aplicativos com maior eficiência, aumentando assim a produtividade.

Quais as diferenças entre Low-Code e No-Code?

Ambas as plataformas de low-code e no-code são construídas com a mesma ideia em mente: velocidade.

Mas como você sabe quando usar um e não o outro? O low-code é indicado para o desenvolvimento de aplicativos móveis e web autônomos e portais que exigirão integração com outros sistemas e diferentes fontes de dados.

Na verdade, ele pode ser usado para quase qualquer finalidade, exceto sistemas altamente sofisticados que se integram com vários backends e fontes de dados externos. As ferramentas no-code, em contraste, só devem ser usadas para casos de uso front-end.

Então, a menos que você esteja desenvolvendo apenas as aplicações mais simples, e que exijam um pouco mais de personalização, o low-code é provavelmente a melhor opção. Neste caso, o low-code permite que você construa aplicativos responsivos e fáceis de usar.

Embora não seja tão simples quanto o no-code, as ferramentas low-code são simples o suficiente para colocar esses aplicativos em funcionamento rapidamente.

Além disso, como o low-code ainda requer algum conhecimento sobre codificação, você sabe que as pessoas que criam seus aplicativos o farão corretamente.

O futuro do desenvolvimento

As plataformas de desenvolvimento low-code e no-code podem ser usadas para criar aplicativos para vários fins comerciais ou técnicos.

A tendência é que seja cada vez mais utilizada no mercado para modernizar sistemas legados, ajudando as organizações a avançarem em suas transformações digitais.

Com essa oportunidade, seu negócio ganha terreno na corrida para lançar novidades com rapidez e melhorar as experiências dos clientes com produtos digitalizados, entre outros benefícios.

A Round Pegs é especializada em no-code que facilita o desenvolvimento rápido de aplicativos sem código e sem programação. Oferece serviço de desenvolvimento com as principais plataformas, como Adalo, Bubble, Webflow e Zapier.

Tire suas ideias do papel! Converse com os especialistas da Round Pegs e inicie o seu projeto sem precisar saber de programação.


16/12/2021

Low-Code e No-Code: quais as diferenças entre os conceitos?